John Ford

“Meu nome é John Ford, eu faço westerns”

“Meu nome é John Ford, eu faço westerns”. Assim se apresentava aquele que é considerado um dos diretores mais importantes do cinema norte-americano. Dono de uma filmografia extensa e respeitável (ao todo, ele dirigiu 133 filmes segundo a Wikipédia), Ford era admirado por grandes cineastas de sua época, como Orson Welles, que respondia a pergunta “Quem são os três melhores diretores?” dizendo “John Ford, John Ford e John Ford”. Obviamente, este respeito não foi conquistado à toa e John Ford continuou sendo reverenciado ao longo de décadas, inspirando diretores importantes até mesmo no cinema contemporâneo (como Quentin Tarantino, pra citar apenas um exemplo).

Filho de imigrantes irlandeses, Ford se especializou no mais americano dos gêneros, dando enormes contribuições para a evolução do western. Curiosamente, o maior vencedor do Oscar de direção jamais recebeu um prêmio por um western, sendo reconhecido pela Academia com os dramas “O Delator”, “As vinhas da ira”, “Como era verde meu vale” e “Depois do Vendaval”, derrotando ninguém menos do que Howard Hanks, Orson Welles (injustamente, é verdade) e Alfred Hitchcock.

A obra-prima “As Vinhas da Ira”, 1940

Dono de um incrível senso estético, Ford trabalhava com planos e enquadramentos belíssimos, numa estratégia visual que tornava o diálogo desnecessário em muitos momentos. Inteligente e dono de enorme capacidade na condução da narrativa, ele não costumava filmar muitas vezes cada cena e sequer usava storyboards (algo que Hitchcock, por exemplo, adorava fazer). Segundo John Ford, filmar poucas vezes era uma forma de defesa contra os produtores. Diz à lenda que na cena do casamento em “Como era verde meu vale”, por exemplo, o plano do pastor no alto da montanha foi o único filmado. Questionado por um assistente se iria filmar o tradicional plano em close no personagem, Ford respondeu: “De jeito nenhum, vai que eles usam!”. “Eles” eram os produtores. Este e outros casos interessantes envolvendo o lendário diretor podem ser encontrados no documentário “Directed by John Ford”, de Peter Bogdanovich, que se inspirou em Ford ao dirigir seu clássico “A última sessão de cinema”.

Também marcou sua carreira a parceria com John Wayne, que durou muitos anos e transformou o jovem ator num astro desde o primeiro trabalho da dupla em “No Tempo das Diligências” – ao todo Ford dirigiu 22 filmes estrelados por John Wayne, a maioria no gênero western. Juntos, eles criaram personagens e imagens icônicas do gênero.

Ford e Wayne juntos pela primeira vez em “No Tempo das Diligências”, 1939

Com tantos filmes na carreira, fica difícil fazer uma análise da filmografia de John Ford, por isso, preferi escolher cinco filmes que, de alguma maneira, foram importantes e ficaram marcados na história do cinema. Mas para quem tiver curiosidade, deixo abaixo a filmografia completa de John Ford como diretor. Também deixo a dica de um bom texto a seu respeito no site Substantivo Plural, além do já citado texto da Wikipédia.

Bem pessoal, é isto. No mais, só resta aguardar pelas críticas dos cinco filmes escolhidos.

FILMOGRAFIA

1966 – 7 Women (Sete Mulheres)

1965 – Young Cassidy (O Rebelde Sonhador)

1964 – Cheyenne Autumn (Crepúsculo de Uma Raça)

1963 – Donovan’s Reef (O Aventureiro do Pacífico)

1962 – How the West Was Won (A Conquista do Oeste)

1962 – The Man Who Shot Liberty Valance (O homem que matou o facínora)

1961 – Two Rode Together (Terra Bruta)

1960 – Sergeant Rutledge (Audazes e Malditos)

1959 – The Horse Soldiers (Marcha de Heróis)

1958 – The Last Hurrah (O Último Hurrah)

1958 – Gideon’s Day (Um Crime Por Dia)

1957 – The Rising of the Moon

1957 – The Wings of Eagles (Asas de Águia)

1956 – The Searchers (Rastros de Ódio)

1955 – Mister Roberts

1955 – The Long Gray Line (A Paixão de Uma Vida)

1953 – Mogambo (Mogambo)

1953 – The Sun Shines Bright

1952 – What Price Glory (Sangue Por Glória)

1952 – The Quiet Man (Depois do Vendaval)

1950 – Rio Grande (Rio Grande)

1950 – Wagon Master (Caravana de Bravos)

1950 – When Willie Comes Marching Home (O Azar de Um Valente)

1949 – She Wore a Yellow Ribbon (Legião Invencível)

1948 – Three Godfathers (O céu mandou alguém)

1948 – Fort Apache (Sangue de Heróis)

1947 – The Fugitive (Domínio de Bárbaros)

1946 – My Darling Clementine (Paixão dos Fortes)

1945 – They Were Expendable (Fomos os Sacrificados)

1941 – How Green Was My Valley (Como era verde meu vale)

1941 – Tobacco Road (Caminho Áspero)

1940 – The Long Voyage Home (A longa Viagem de Volta)

1940 – The Grapes of Wrath (As vinhas da ira)

1939 – Drums Along the Mohawk (Ao Rufar dos Tambores)

1939 – Young Mr. Lincoln (A Mocidade de Lincoln)

1939 – Stagecoach (No Tempo das Diligências)

1938 – Submarine Patrol (Patrulha Submarina)

1938 – Four Men and a Prayer (Quatro Homens e Uma Prece)

1937 – The Hurricane (O Furacão)

1937 – Wee Willie Winkie (A Queridinha do Vovô)

1936 – The Plough and the Stars (Horas Amargas)

1936 – Mary of Scotland (Mary Stuart, Rainha da Escócia)

1936 – The Prisoner of Shark Island (O Prisioneiro da Ilha dos Tubarões)

1935 – Steamboat Round the Bend (Nas Águas do Rio)

1935 – The Informer

1935 – The Whole Town’s Walking (O Homem que Nunca Pecou)

1934 – Judge Priest (Juiz Priest)

1934 – The World Moves On (A Marcha dos Século)

1934 – The Lost Patrol (A Patrulha Perdid)

1933 – Doctor Bull (Doutor Bull)

1933 – Pilgrimage (Peregrinação)

1932 – Flesh (Carne)

1932 – Airmail (Asas Heróicas)

1931 – Arrowsmith

1931 – The Brat (A Garota)

1931 – Seas Beneath (Sob as Onda)

1930 – Up the River (Rio Acima)

1930 – Born Reckless (Galanteador Audaz)

1930 – Men Without Women (Homens sem Mulheres)

1929 – Salute (Em Continênci)

1929 – The Black Watch (A Guarda Negra)

 1929 – Strong Boy (O Moço Forte)

1928 – Riley the Cop (Polícia Solteirão)

1928 – Napoleon’s Barber (O Barbeiro de Napoleão)

1928 – Hangman’s House (Justiça do Amor)

1928 – Four Sons (Quatro Filhos)

1928 – Mother Machree (Minha Mãe/ Sacrifício)

1927 – Upstream (filme) (A Torrente da Fama)

1926 – The Blue Eagle (A Águia Azul)

1926 – 3 Bad Men (Três Homens Maus)

1926 – The Shamrock Handicap (A Folha de Trevo)

1925 – Thank You (Agradecido)

1925 – The Fighting Heart (Coração Intrépido)

1925 – Kentucky Pride (Puro-Sangue)

1925 – Lightin’ (O Coração Não Envelhece)

1924 – Hearts of Oak (Amor, Juventude e Sacrifício)

1924 – The Iron Horse (Cavalo de Ferro)

1923 – Hoodman Blind (Cegueira Humana)

1923 – North of Hudson Bay (Jornada da Morte)

1923 – Cameo Kirby (Sota, Cavalo e Rei) *primeiro filme como John Ford

1923 – Three Jumps Ahead (Descendo Abismos)

1923 – The Face On the Bar-Room Floor (O Romance de um Pintor Célebre)

1922 – The Village Blacksmith (O Ferreiro da Aldeia)

1922 – Silver Wings (Veneração Extrema)

1922 – Little Miss Smiles (Senhorita Sorriso)

1921 – Jackie (A Dançarina)

1921 – Sure Fire (Fogo Certeiro)

1921 – Action (Ação Enérgica)

1921 – Desperate Trails (Pista Inapagável)

1921 – The Wallop (Corações Independentes)

1921 – The Freeze-Out (O Chicote do Amor)

1921 – The Big Punch (Amor Maternal)

1920 – Just Pals (Camaradas)

1920 – Hitchin’ Posts (No Campo de Honra)

1920 – The Girl in Number 29 (A Dama do Nº 29)

1920 – The Prince of Avenue A (Doce Atrocidade)

1919 – The Last Outlaw

1919 – The Rustlers

1919 – Marked Men (Homens Marcados)

1919 – A Gun Fightin’ Gentlemen (Dignidade)

1919 – Rider of the Law (Expiação)

1919 – The Ace of the Saddle (Ação Fecunda)

1919 – The Outcasts of Poker Flat (O Caminheiro)

1919 – Riders of Vengeance (Cavaleiros da Vindita)

1919 – By Indian Post (O Índio Correio)

1919 – The Gun Packer

1919 – Gun Law

1919 – Bare Fists (A Promessa)

1919 – A Fight for Love (Uma Contenda de Amor)

1919 – The Fighting Brothers (Luta Entre Irmãos)

1919 – Roped (Loteria Matrimonial)

1919 – The Craving

1918 – The Hill Billy (A Onda da Indignação)

1918 – Delirium

1918 – Three Mounted Men (Os Três Cavaleiros)

1918 – A Woman’s Fool (Nas Malhas de Cupido)

1918 – Hell Bent (A Recompensa)

1918 – The Scarlet Drop (Pingo de Sangue)

1918 – Thieves’ Gold (Quando se Ama)

1918 – Wild Women (Reino Venturoso)

1918 – The Phantom Riders (Rosa do Paraíso)

1917 – Red Saunders Plays Cupid

1917 – Bucking Broadway

1917 – A Marked Man (Preito de um Foragido)

1917 – The Secret Man (O Fugitivo)

1917 – Straight Shooting (O Último Cartucho)

1917 – Cheyenne’s Pal

1917 – The Cattie War

1917 – The Trail of Shadows

1917 – The Soul Herder (Arrebanhador de Almas)

1917 – The Scrapper

1917 – The Trail of Hate

1917 – The Tornado (O Furacão) *ainda como Jack Ford, ator e diretor

Um grande abraço.

O clássico do western “Rastros de Ódio”, 1956

Texto publicado em 07 de Agosto de 2011 por Roberto Siqueira

3 Respostas to “John Ford”

  1. bancodedadosterra.com.br » AS VINHAS DA IRA Says:

    […] disponível em: <https://cinemaedebate.com/a-setima-arte/john-ford/&gt;. Posted by admin on Apr 09, 2012 FILMES • Comment feed RSS 2.0 – Read this post • […]

  2. Balanço de 2011 « Cinema & Debate Says:

    […] semanas especiais foram: “Bons filmes de grandes diretores”, “Inovação”, “Disney”, “John Ford” e “Film Noir”. Entre as promessas que não cumpri está à semana especial “Neo-realismo […]

  3. Semana John Ford « Cinema & Debate Says:

    […] também para lançar a página “John Ford”, que você pode acessar na página inicial (lado direito da tela), onde faço uma rápida […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: