OSCAR 1994: A LISTA DE SCHINDLER X O PIANO

Seguindo minha comparação entre o vencedor do Oscar de Melhor filme e aquele que eu considerei como a melhor produção do ano, chega à vez do ano de 1993 (Premiação em 1994), outro ano em que concordei com o escolhido da Academia. O ano de 1993 apresentou uma safra respeitável de filmes, como atestam os thrillers “A Firma” e “O Fugitivo”, os respeitáveis “Vestígios do dia” e “Em nome do pai”, o criativo “Short Cuts – cenas da vida” e os empolgantes “Kalifornia” e “Um Dia de Fúria”. Além destes bons filmes, tivemos o tocante “A Liberdade é Azul”, o corajoso “Filadélfia” e o eletrizante “Jurassic Park”, com os dinossauros de Spielberg detonando nas bilheterias. O ano ainda apresentou o excepcional “Um Mundo Perfeito”, que já revelava os novos caminhos que Clint Eastwood seguiria na direção. Mas os filmes que monopolizaram as premiações daquele ano foram mesmo “A Lista de Schindler” e “O Piano”. E, sinceramente, apesar de gostar do longa estrelado por Holly Hunter, não entendo como obras como “Um Mundo Perfeito” e “A Liberdade é Azul” não foram reconhecidas nas premiações daquele ano. Por outro lado, a academia acertou ao reconhecer a atuação de Tom Hanks em “Filadélfia” e os méritos técnicos de “Jurassic Park”. E acertou mais ainda ao premiar a obra-prima “A Lista de Schindler”, que, com todos os méritos, levou a grande maioria dos prêmios da noite e confirmou o ano excepcional de Steven Spielberg.

Porque “A Lista de Schindler” é melhor?

Por mais interessante que seja “O Piano” ou qualquer outro filme do ano, seria uma tremenda injustiça não reconhecer a importância da obra de Spielberg, que retrata a vida de Oskar Schindler com enorme sensibilidade e competência. O filme tem momentos melodramáticos? Tem. Mas são momentos coerentes com a vida daquele homem. Não chorar neste filme é praticamente impossível e requer um esforço enorme (ou um coração de pedra). E além de toda a carga dramática que a história narrada naturalmente evoca, o longa é praticamente perfeito em todos os aspectos técnicos, além de contar com atuações inspiradas. Por tudo isso, eu votaria de olhos fechados em “A Lista de Schindler” naquele ano.

E pra você, qual o melhor filme de 1993 e por quê?

Um abraço e bom debate.

PS: Para ver Spielberg vencendo seu primeiro Oscar, clique aqui. Para ver o anúncio do vencedor de melhor filme, clique aqui.

Texto publicado em 18 de Maio de 2011 por Roberto Siqueira

Anúncios

12 Respostas to “OSCAR 1994: A LISTA DE SCHINDLER X O PIANO”

  1. laranjamecanica6 Says:

    A “Listinha” é claro! 🙂

  2. Mateus Aquino Says:

    A Lista de Schindler está nos meus 3 filmes favoritos

  3. And the Oscar goes to… « Cinema & Debate Says:

    […] começar, inclui os links no post do Oscar 1994, que consagrou Steven Spielberg em Hollywood. Aos poucos, incluirei todos os […]

  4. jorge Says:

    Também votaria em A Lista de Schindler, um dos meus cinco favoritos de todos os tempos. E apesar de Tom Hanks estar ótimo no razoável Filadélfia, entregaria facilmente o Oscar pra Liam Neeson. Bela atuação.
    Muito bem lembrado por você Um Mundo Perfeito, realmente um filmaço totalmente ignorado no Oscar, assim como o belo A Liberdade é Azul, que é todo sentimento.

    • Roberto Siqueira Says:

      Grande atuação mesmo Jorge.
      É verdade, dois grandes filmes ignorados pela Academia.
      Abraço.

  5. Cross98 Says:

    Sem duvidas , parabens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: