COPA DO MUNDO 2010 – GRUPOS C E D

Continuando minha “análise” sobre os grupos da Copa, vamos aos grupos C e D:

GRUPO C (Inglaterra, Estados Unidos, Argélia e Eslovênia)

O English Team não poderia ter mais sorte. Ao lado dos Estados Unidos, devem se classificar com facilidade. Já Argélia e Eslovênia deverão apenas fazer figuração na África do Sul.

Os ingleses melhoraram sensivelmente nos últimos quatro anos. E quando afirmo isto, não me refiro aos jogadores, pois são praticamente os mesmos do último mundial. O grande reforço inglês veio da Itália e fica sentado no banco de reservas. Trata-se de Fábio Capello, grande treinador italiano que finalmente deu um jeito na “geração de ouro” inglesa. Era difícil entender como um time com Lampard, Gerrard, Rooney & Cia não conseguia apresentar um bom futebol. Capello deu um jeito na seleção, colocou cada estrela no seu devido lugar e fez a Inglaterra se classificar sem sustos para a Copa. Começando o mundial com um grupo tranqüilo e com um caminho relativamente fácil até as quartas-de-final, a Inglaterra é uma das grandes favoritas ao título e desta vez promete não decepcionar seus torcedores.

A segunda força do grupo é a seleção norte-americana, em clara evolução no mundo do futebol. Ainda que o soccer não engrene na terra do tio Sam, é evidente que os Estados Unidos começaram a produzir bons jogadores nos últimos anos e tem um time mais competitivo, como o vice-campeonato da última Copa das Confederações deixou bem claro (inclusive pra este que vos escreve, que quebrou a cara naquela ocasião). Liderados por Donovan e Dempsey, devem ficar com a segunda vaga da chave.

A Argélia conseguiu a façanha de deixar o bom time do Egito fora do mundial no continente africano. Mas esta deve ser a única proeza da seleção de Ziani, do Wolfsburg, que dificilmente conseguirá a vaga para a segunda fase. Recheada de jogadores nascidos na França, a Argélia não deve passar da primeira fase, principalmente pela enorme dificuldade demonstrada pela equipe quando atua fora de seus domínios.

E finalmente, a Eslovênia, que eliminou a forte Rússia (que pena!), também deverá ficar na primeira fase, apesar do bom futebol do atacante Dedic, autor do gol que eliminou os russos na repescagem. Os eslovenos apostarão na consistência defensiva e na disciplina tática para avançar, mas claramente não têm força suficiente para bater de frente com os favoritos ingleses e entram como azarões diante dos norte-americanos.

GRUPO D (Alemanha, Austrália, Sérvia e Gana)

Os sempre favoritos alemães vão ter que encarar uma chave bastante complicada na busca pelo tetra. Mas com uma seleção talentosa e renovada com competência, devem passar sem grandes sustos. O difícil é indicar o segundo colocado, já que qualquer uma das três seleções restantes do grupo pode se classificar.

Curiosamente, a seleção alemã chega à Copa de 2010 com mais credibilidade que há quatro anos, quando o mundial foi disputado em território germânico. A desconfiança geral no país em relação à seleção dirigida (na época) por Klinsmann deu lugar à euforia com o bom futebol de jovens talentos como Lahm, Schweinsteiger e Podolski. E nos últimos quatro anos, novos nomes surgiram no futebol alemão, como Özil e Kroos, jovens talentos de Werder Bremen e Bayer Leverkusen respectivamente. Por isso, a Alemanha, que normalmente é favorita, chega ainda mais credenciada e com o vice-campeonato europeu de 2008 na bagagem. Apesar da sentida ausência do capitão Ballack, é bom não duvidar do time dirigido por Joachim Löw.

A Austrália claramente chega enfraquecida em relação à seleção que chegou às oitavas-de-final (e por pouco não eliminou a Itália) há quatro anos. Sem o artilheiro Viduka e com Kewell machucado (e ainda assim, convocado), dificilmente a Austrália conseguirá passar de fase diante de rivais tão qualificados. Mesmo assim, não será surpresa se os australianos se classificarem em segundo lugar.

Líder de seu grupo nas eliminatórias numa chave que contava com a França, a Sérvia chega credenciada pela tradição da antiga Iugoslávia e pelo bom futebol de seus experientes jogadores, como Stankovic da Internazionale e Vidic do Manchester United, para tentar a vaga na segunda fase. Diferentemente do último mundial, onde claramente a seleção não tinha o menor interesse em defender “seu país”, os sérvios agora contam com um time competitivo, motivado e que pode avançar tranquilamente no mundial.

Fechando o grupo, mas não menos candidata, a seleção de Gana contará com o apoio da torcida e com seus bons jogadores, como Appiah e Muntari (que atuam no futebol italiano), para novamente surpreender e chegar às oitavas-de-final, como fez quatro anos atrás. A chave é muito complicada, é verdade, mas o sonho é possível para esta que é seguramente uma das forças do continente atualmente, ao lado da Costa do Marfim. O maior problema será a ausência do líder do time, Essien (do Chelsea), que se machucou antes do mundial e está fora da Copa.

Bom, já comentei metade dos grupos. Em breve divulgo comentários sobre os grupos E e F.

Um abraço.

Texto publicado em 06 de Junho de 2010 por Roberto Siqueira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: