Por que voto nulo

[Clique nos trechos em destaque para abrir a fonte de cada informação]

Atendendo aos pedidos, explicarei logo abaixo por que votarei nulo.

Antes disso, no entanto, quero deixar claro que se quase sempre posto algo desmistificando Aécio é por que as mentiras e exageros em minha timeline vêm de quem vota nele. Contrariando o que muitos dizem, a maioria dos meus amigos que votam em Dilma são pessoas muito cultas, estudadas, envolvidas com arte ou jornalismo e, em quase todos os casos, reconhecem os problemas de sua candidata e de seu governo, mas apostam nas virtudes. Quando postam algo, postam com base em fontes e informações oficiais e não em memes ou correntes montadas para enganar quem não vai atrás de informação.

Infelizmente, não é o que acontece do outro lado. Muitos amigos próximos (não todos, é claro) ficam repetindo informações que encontram no site do próprio Aécio (aham…), como se fosse uma fonte totalmente confiável de informação, além de usarem montagens e frases fora de contexto, quando não é algo proveniente de uma revista claramente de direita como a VEJA – basta um mínimo de senso crítico pra entender por que a VEJA faz o que faz e quais são os seus interesses. Por isso, não resisto à tentação e sempre rebato com informações concretas, dados históricos e números oficiais. Não concordo com a santificação deste candidato que nada de melhor tem a oferecer do que o que já temos.

Como muitos me acusam de atacar um lado só, deixo aqui 5 razões pelas quais não voto nem em Dilma e nem em Aécio. Se fosse obrigatório votar em um deles, ficaria com a atual presidente, especialmente pelo projeto social do governo petista que fez esta notícia aqui se transformar nesta aqui. Mas, como a democracia me dá o direito de anular o voto, assim o farei – e explico abaixo as razões para esta decisão.

Por que não voto em Dilma?

– Os gastos absurdos com a Copa do Mundo e as obras que não foram entregues são alguns dos principais pontos que questiono no governo atual. A Copa do Mundo representou uma ótima oportunidade para alavancar a infraestrutura do país, mas o governo, seja lá por quais razões, não conseguiu dar sequência em uma infinidade de obras como o famoso trem bala, o que me deixou bastante decepcionado.

– Os investimentos feitos em Cuba não me convencem, por mais que tenha quem defenda alegando que pode dar grande retorno ao país no futuro por sua posição estratégica. Até acho que seria interessante o Brasil capitanear o desenvolvimento da América Latina e se consolidar com a grande potência da região, mas antes disso é preciso olhar pra dentro de casa. Nossa infraestrutura ainda está distante do ideal e precisamos investir em portos, aeroportos e principalmente ferrovias antes de começar a pensar em fazer algo semelhante nos países vizinhos. Eu sei que no caso das ferrovias o governo estaria comprando uma briga enorme com as montadoras de automóveis e, além disso, teria que mudar muito a matriz econômica do país que hoje é refém deste setor, mas em algum momento isto precisará ser feito antes que o custo Brasil torne nossos produtos ainda menos competitivos e acabe impactando em nossas exportações. Além disso, uma logística mais eficiente melhoraria até mesmo os custos para atender o mercado interno.

– O crescimento da bancada conservadora comandada por Felicianos e Bolsonaros da vida me preocupa e muito. Criar leis ou, o que é pior, impedir novas leis que concedam o mesmo direito a todos é algo reprovável, ainda mais quando a base para tal é a Bíblia. Com todo o respeito à fé de cada um, o Brasil é um Estado Laico e precisa se comportar como tal. Nenhuma religião, por maior e mais influente que seja, deve pautar as leis de um país. Infelizmente, o governo Dilma recuou em questões importantes como a criminalização da homofobia por pressão desta ala do congresso, já que ela própria afirma ser a favor da criminalização.

– O governo petista, e aí incluo os anos de Lula, também pouco fez em relação às questões trabalhistas, o que é emblemático se nós considerarmos o nome do partido. Enquanto países europeus trabalham menos de 40 horas por semana, nós ainda estamos nas 44 horas semanais, com uma licença maternidade de apenas 4 meses (não adianta estipular 6 meses e dizer que é facultativo porque poucas empresas vão aderir). Como representante do trabalhador, o governo petista deveria ter lutado mais por tais questões, entre outras, ainda que o salário mínimo tenha de fato obtido um crescimento real superior ao governo tucano e as empregadas domésticas finalmente tenham garantido direitos.

– Como já disse inúmeras vezes, sou defensor do programa Bolsa Família e de seus resultados. Por outro lado, acho que já passou da hora do governo federal estimular ainda mais o desenvolvimento de regiões mais pobres, seja através de incentivos fiscais para empresas, seja de outra forma mais criativa. É verdade que muitas empresas deixaram São Paulo e rumaram para regiões menos favorecidas, mas o ritmo ainda é lento demais diante da necessidade do país. Evitar que milhões de pessoas morram de fome é louvável (e a ONU já reconheceu o sucesso do programa), mas agora é necessário também criar condições para que estas famílias possam dar um passo adiante e não corram o risco de, caso outro governo lhes tire o benefício, voltar a passar fome.

Por que não voto em Aécio?

– A falta de investimentos na Saúde em seu governo chama a atenção, conforme atestam os bilhões que Aécio é acusado de não investir e que levaram a ação por ato de improbidade administrativa movida pelo MPE-MG, além da péssima colocação de Minas Gerais no ranking de investimentos na área durante sua gestão.

– Na Educação, ao contrário do que ele diz com base em números maquiados graças ao fim da repetência, Aécio também teve um desempenho pífio, ficando entre os estados que menos investiram na área e, pra piorar, com professores recebendo abaixo do piso nacional. A revolta de professores já é um indicador do valor que Aécio dá para a educação. Além disso, o governo tucano não criou universidades federais e ainda sucateou as que tínhamos, ao passo que o governo petista criou 18 universidades e permitiu o acesso ao estudo através do PROUNI.

– A política econômica defendida por Aécio e Armínio Fraga tende a privilegiar investidores e empresas, mas prejudica o trabalhador. Contrários à regulação de mercado (página 52 do plano de governo dele) e partidários do neoliberalismo norte-americano, eles provavelmente conseguirão atrair investimentos e aumentar os lucros das empresas, mas isto não representará nada para o trabalhador, que verá a distância entre o que ele ganha e o que acionistas e empresários lucram só aumentar. Ah, “mas os empresários que geram empregos” você pode argumentar. Errado. Quem gera empregos é o consumidor e o consumidor só consome se for bem remunerado. Além disso, Fraga já elevou a taxa de juros a incríveis 45% no passado e, mesmo tendo baixado algum tempo depois, manteve os juros em patamares altos, o que, para quem sabe a função da taxa SELIC, é algo bem perigoso, travando o crédito e o consumo e impedindo pessoas de terem acesso a novas conquistas. E então chegamos às privatizações. Partidários das privatizações (não sou contra elas em muitos setores, mas em alguns que são essenciais ao país sou contra), os tucanos pouca atenção darão aos bancos públicos, que, como todos sabem, são os grandes responsáveis por financiar com juros baixos a vida daqueles que mais necessitam, seja para comprar uma casa ou para manter seu pequeno negócio. Quem já recorreu aos bancos privados sabe a diferença. E eu não quero isto para o meu país.

– A gestão de recursos não é exatamente uma especialidade do PSDB. Justamente por olhar mais para o acionista do que para a sociedade, por vezes seus governantes preferem tomar decisões que visam evitar a diminuição dos lucros de investidores, como no caso da SABESP, em que mesmo com relatórios apontando para a necessidade de investimentos, pouco foi feito e o resultado está aí. Acha que é um caso esporádico? Lembra-se do apagão na era FHC?

– A violência é um problema crônico do Brasil desde sempre, mas as maneiras de combatê-la são bem diferentes também. O problema é que o governo tucano não diferencia bem bandidos de pessoas honestas, como fica claro na maneira em que eles tratam manifestações, com uma abordagem repressiva que busca manter a ordem a qualquer preço, nem que isto envolva atos violentos de policiais contra manifestantes. Além disso, eleitores de direita acusam o governo atual de querer implantar uma ditadura, mas muitos deles defendem intervenção militar. E que tipo de ditadura permite que a imprensa ataque seu governo com tanta frequência? Numa ditadura, a VEJA, por exemplo, não existiria (o que seria reprovável, ainda que esta revista não seja um exemplo de lisura). O curioso é que em Minas Gerais jornalistas reclamam da falta de liberdade da imprensa e foi justamente Aécio quem processou uma jornalista (que teve seus equipamentos apreendidos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro), tentou bloquear termos de busca no Google e processou 66 usuários do Twitter.

Finalmente, eu nem deveria entrar no campo corrupção, porque tanto de um lado quanto do outro não são poucas as acusações que, no mínimo, deixam uma pulga atrás da orelha. E não me venha com este mimimi de que o PT inventou a roubalheira, pois não cola. Infelizmente, a corrupção é um mal que assola o Brasil há séculos e não vai acabar de uma hora para outra. Ainda assim, prefiro a postura do atual governo de expor os casos e de dar ferramentas para a Polícia Federal trabalhar do que a do governo tucano que engavetava processos um atrás do outro. Não adianta se irritar, basta analisar o número de investigações da Polícia Federal em cada governo e o número de pessoas presas. Não está convencido? Então lembre os casos de denúncia de corrupção aqui em São Paulo para verificar que esta política de encobrir os escândalos segue vigente, tendo em vista que o escândalo do metrô foi denunciado fora do país antes de alguém abrir a boca por aqui.

Satisfeitos? Claro que não. Mas não me importa, eu estou satisfeito com meu voto. É o que basta.

Texto publicado em 23 de Outubro de 2014 por Roberto Siqueira

Anúncios

8 Respostas to “Por que voto nulo”

  1. Balanço de 2014 | Cinema & Debate Says:

    […] Clique aqui para acessar a Página Inicial « Por que voto nulo […]

  2. Rita Says:

    Poncio Pilatus votaria em você! Afinal, ficar em cima do muro e esperar que outros decidam e o que for decidido tá muito bom é uma solução fácil para enganar-se a si mesmo, achando que resolveu alguma coisa, e de enganar os outros, fazendo-os chegar à mesma conclusão. Haja vista, a unanimidade do seu eleitorado acima (ou abaixo?).

    • Roberto Siqueira Says:

      Olá Rita,
      Não sou candidato, por isso não tenho eleitorado. Acho que se equivocou em sua análise.
      Minha candidata não estava no segundo turno, por isso, anulei meu voto. Isto não me impede de cobrar da presidenta reeleita o que acho que deve ser feito agora. Cobrar o governo é um direito/dever de todo cidadão brasileiro e não um privilégio de quem votou nela.
      A democracia nos dá o direito de votar em quem quisermos, inclusive em ninguém. Respeite isso. É a maior conquista da história política do Brasil.

  3. Wellington Pereira Says:

    Boa noite gostei muito da sua observação acho que independente de partido ou qual candidato ganhe acho que ambos sairão como derrotados pelo baixo nível da campanha muitos ataques e poucas propostas em muitos casos se esquecem o que esta em jogo não e a Vitoria de A ou B ou qual partido e melhor ou pior mas o que está em jogo e o futuro do nosso país mas uma vez quem perde somos nós brasileiros de saber que a preocupação de ambos gira em torno do poder abraços.

  4. Mateus Aquino Says:

    Eu confiarei sem dúvida nenhuma em Aécio. Tenho a plena consciência de que ele não é um candidato perfeito, mas ninguém é. Me simpatizo mais com suas propostas, gosto de seu governo em Minas (como no fato da saúde, ele “desviou” da saúde mas investiu o dinheiro em saneamento, e isso não seria uma medida no mínimo interessante?) de fato a educação não está bem, mas isso vem de todo o país. Vou em Aécio, vou pelo Brasil.

    E não há a necessidade de brigas por causa de política, bom voto para você 😀

  5. Adauto Says:

    Ótimo senso critico meu caro amigo, fico feliz em enriquecer ainda mais os seus seguidores com ótima informações.
    Os dois lados são sujos, o que nos resta é rezar para tempos melhores… Militantes gritando nome de bandidos, me faz pensar muito sobre as pessoas e seus valores. “Que país é esse?”…. Mas tenho fé!

  6. Anônimo Says:

    Ótimo senso critico meu caro amigo, fico feliz em enriquecer ainda mais os seus seguidores com ótima informações.
    Os dois lados são sujos, o que nos resta é rezar para tempos melhores… Militantes gritando nome de bandidos, me faz pensar muito sobre as pessoas e seus valores. “Que país é esse?”…. Mas tenho fé!

  7. Khaled Says:

    Muito boa sua abordagem sobre o assunto Roberto, é raro encontrar alguém que compartilhe suas opiniões com tanta lucidez. Infelizmente a maioria do povo brasileiro acredita nessa polarização (direita e esquerda) e acaba não enxergando os erros e absurdos do partido e acaba demonizando o outro as vezes por falácias. Um Brasil melhor não se conquista por mentiras, vejo extremistas dos dois lados e me pergunto o que será do nosso futuro se continuarmos com essa estúpida disputa ideológica e não focarmos nossos esforços para fazer melhorias ao invés de combater.
    Ótimo texto, abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: