O EXORCISTA (1973)

(The Exorcist) 

5 Estrelas 

Videoteca do Beto #14

Dirigido por William Friedkin.

Elenco: Ellen Burstyn, Linda Blair, Jason Miller, Max Von Sydow, Lee J. Cobb, Kitty Winn, Jack MacGowran, William O’Malley, Barton Heyman, Peter Masterson, Gina Petrushka, Robert Symonds, Thomas Birmingham e Mercedes McCambridge (voz).

Roteiro: William Peter Blatty, baseado em livro de William Peter Blatty.

Produção: William Peter Blatty.

[Antes de qualquer coisa, gostaria de pedir que só leia esta crítica se já tiver assistido o filme. Para fazer uma análise mais detalhada é necessário citar cenas importantes da trama].

Para algumas pessoas – como eu – poucos temas são capazes de provocar medo como os relacionados aos espíritos. Por isso mesmo, confesso que dos filmes recentes de suspense que eu assisti, os que mais me agradaram tinham este tema em comum (“O Chamado” e “Os Outros”). Em “O Exorcista”, clássico dirigido por William Friedkin, este tema foi explorado com absoluta competência, provocando um frio na espinha da maioria dos espectadores e criando um festival de imagens que são capazes de atormentar a mais incrédula das pessoas.

A atriz Chris MacNeil (Ellen Burstyn) começa a perceber gradativamente que sua pequena filha Regan MacNeil (Linda Blair) está tendo um comportamento bastante estranho. Após frustradas tentativas de curar a garota procurando a ajuda de médicos, psiquiatras e até mesmo através da hipnose, ela se rende à ajuda do padre Karras (Jason Miller), que chega à conclusão de que a menina está possuída pelo demônio e precisa de um ritual que já não é mais utilizado nos dias de hoje, chamado exorcismo.

Friedkin inicia o filme mostrando o cotidiano do experiente Padre Merrin (Max Von Sydow), que está fazendo escavações no Iraque. Durante estas escavações, Merrin acaba se encontrando com uma estátua macabra no alto de um monte. O plano final desta seqüência no Iraque, com o pôr-do-sol avermelhado, remete ao inferno. Em seguida, o diretor nos ambienta profundamente no relacionamento entre Chris e Regan, mostrando imagens das duas brincando e conversando na cama (neste plano vemos o rosto de Regan em close, o que dá a exata noção do contraste quando ela está possuída). Desta forma, ele cria empatia entre o espectador e aquela família, o que aumenta ainda mais o drama quando Regan começa a dar sinais de mudança em seu comportamento. O diretor também é inteligente ao nos situar nos problemas da família, como no plano em que Chris tenta falar com o pai de Regan e discute com a operadora de telefone. A câmera lentamente se afasta até mostrar Regan ouvindo a conversa escondida. A falta do pai seria utilizada como justificativa posteriormente para a mudança de comportamento da garota. Além disso, lentamente Friedkin vai introduzindo elementos que nos mostram sinais do que aconteceria depois, como a cama balançando freneticamente, a reação de Regan nos exames e os palavrões que a garota começa a falar. Finalmente, somos apresentados ao sofrimento do Padre Karras ao ver sua mãe doente, que também terá reflexo no restante da narrativa.

Vale dizer que todo este cuidadoso primeiro ato é mérito também do excelente roteiro de William Peter Blatty (baseado em livro do próprio Blatty). O roteiro desenvolve muito bem os personagens e seus dramas familiares, o que colabora com o nosso envolvimento no filme. É também corajoso ao trabalhar muito bem questões delicadas como a vida pessoal dos padres, normalmente vistos como pessoas acima do bem e do mal, mas que são seres humanos normais, que têm defeitos, medos e enfrentam problemas pessoais como qualquer um. Observe, por exemplo, este trecho de uma das conversas entre Chris e Karras: (Chris: “Padres sabem guardar segredo?” / Karras: “Depende.” / Chris: “Do que?” / Karras: “Do Padre.”). Não é por ser padre que uma pessoa é ou não é confiável, isto depende exclusivamente da pessoa. Blatty conseguiu ainda ilustrar de forma correta o conflito comum entre a medicina e a religião, através do ceticismo dos médicos no início do tratamento da garota. Finalmente, o filme jamais abre espaço para o humor, o que soaria falso e deslocado, a não ser pela repetição da piada sobre o filme que está passando no cinema no final do filme, já quando o espectador está mais relaxado.

Também colabora sensivelmente para o sucesso do longa o talentoso elenco dirigido por Friedkin. Ellen Burstyn e Linda Blair mostram uma boa química no início, o que serve até como comparação para a incrível transformação que ambas sofrerão durante o restante do filme. Regan, sempre sorridente, e Chris, sempre carinhosa, vão lentamente se transformando em pessoas completamente diferentes por razões distintas. Burstyn é extremamente competente, por exemplo, ao demonstrar sua comoção com a notícia da morte de Burke, chorando escandalosamente e com as mãos trêmulas. Seu desespero para tentar curar a filha é tocante, apelando para toda e qualquer ajuda vinda dos médicos, psiquiatras ou até mesmo de um especialista em hipnose. Observe sua reação ao ouvir a sugestão de um médico para procurar o exorcismo (e aqui ele dá uma explicação técnica para o sucesso do ritual, mostrando novamente que a medicina não tolera a explicação religiosa). Ela olha assustada para todos na mesa, mudando o foco do olhar da direita para a esquerda e vice-versa, tentando entender o que era aquilo. Finalmente, Burstyn completa sua transformação na cena em que expõe todo seu sofrimento ao gritar para o padre Karras que ela reconheceria sua filha de qualquer jeito (“Aquela coisa lá em cima não é minha filha!”). A atriz é muito competente na transmissão da dor e do desespero de Chris. Da mesma forma, Linda Blair também merece destaque pela excelente performance como Regan MacNeil. Inicialmente meiga e apegada à mãe, a garota lentamente se transforma num verdadeiro monstro, e o desempenho de Blair cresce consideravelmente quando está possuída. Aterrorizante, o resultado final de sua transformação é mérito também da excelente maquiagem e dos sensacionais efeitos sonoros, como podemos observar na primeira vez que a garota fala com a voz alterada. Jason Miller consegue transmitir muito bem o drama vivido pelo Padre Karras, que tem uma vida extremamente complicada. Localizada em um bairro pobre (as ruas pichadas e cheias de lixo mostram o bom trabalho de Direção de Arte), a velha e desorganizada casa reflete seu estado psicológico, seriamente afetado pela doença de sua mãe. A relação com a mãe, aliás, é algo muito importante para Karras. Talvez pelo fato de não ser casado, ela se tornou sua única companheira. Um dos seus bons momentos acontece quando Chris fala sobre exorcismo e ele pergunta espantado: “Como é?”. Completando o elenco principal, Max Von Sydow oferece uma ótima atuação como o experiente Padre Merrin, que encontra o seu destino no quarto de Regan e reforça o primeiro ato do filme, dando um peso maior à forte cena do exorcismo. Sydow é extremamente competente na criação do clima perfeito para o ritual, transmitindo ao espectador o perigo que aquilo representa, por exemplo, quando está rezando no banheiro.

Além do talentoso elenco, “O Exorcista” conta ainda com um apurado trabalho técnico que aumenta ainda mais o clima de suspense. Observe como a fotografia (Direção de Owen Roizman e Billy Williams) começa a escurecer na medida em que Regan começa a dar sinais de estar possuída. Com o passar do tempo, a fotografia se torna ainda mais sombria, ajudada também pela paleta granulada que torna a imagem menos nítida. Friedkin aumenta a sensação de horror ao jogar imagens demoníacas que piscam rapidamente na tela. O ótimo trabalho de som também colabora para criar o clima perfeito, como na cena em que podemos ouvir os barulhos no sótão da casa de Regan. O som ajuda também nos sustos causados na platéia, como na cena em que Chris investiga a origem dos barulhos na casa, além de funcionar perfeitamente nas cenas em que Regan está possuída.

Ao contrário de filmes como “Tubarão”, onde o suspense é muito mais psicológico, “O Exorcista” aposta no visual para causar medo no espectador. De maneiras diferentes, os dois filmes conseguem sucesso. Quando Regan desce as escadas no meio de uma festa, diz uma frase macabra e faz xixi no chão, o espectador percebe o nível das assustadoras cenas que vai presenciar. E a coleção de cenas aterrorizantes é enorme. Regan vira a cabeça completamente para trás, desce a escada de costas com as mãos e os pés apoiados nos degraus (na famosa cena conhecida como a “menina-aranha”), agride sua própria genital com um crucifixo dizendo palavras obscenas, levita sobre a cama e move objetos para tentar agredir quem entra em seu quarto, entre outras cenas impressionantes.

Assustador e repleto de imagens chocantes, “O Exorcista” faz ainda um excelente estudo sobre a perda da fé. Observamos pessoas completamente diferentes e que enxergam a fé de formas ainda mais distantes, alterarem suas vidas após serem atingidos por tragédias particulares. O Padre Karras, completamente modificado após a perda da mãe, enxerga no drama de Chris a possibilidade de se reencontrar com sua fé. Chris, que segundo ela mesma não tem religião, se entrega à fé para tentar salvar sua pequena filha. E o Padre Merrin, mesmo com toda sua experiência na vida religiosa, tem sua fé realmente testada dentro do quarto de Regan.

Extremamente visual sem se descuidar de seu conteúdo, “O Exorcista” é um filme aterrorizante, com imagens fortes e boas atuações. Seu roteiro coeso aborda a complicada possessão da garota de forma lenta, elevando a tensão a níveis extremos de maneira inteligente. Acredite ou não em espíritos ou demônios e, independente de qual seja a sua fé, o espectador jamais sai indiferente ao filme. Goste ou não, é impossível não respeitar a qualidade do trabalho realizado e o resultado alcançado.

Texto publicado em 15 de Outubro de 2009 por Roberto Siqueira

Anúncios

Tags: , , , , ,

66 Respostas to “O EXORCISTA (1973)”

  1. Gabriel Says:

    Esse filme devia ter em sua divulgação escrito: Não vá sozinho, não assista a sessão da meia noite e por preucação use fraudas para adultos.

    Assustador.

    A cena mais pertubadora, dentre todas que concordo com vocês, nunca mais saiu da minha cabeça, e olha que não vejo esse filme há um bom tempo… a menina aranha… desconjuro, muito sinistro…

    Foi citado alguns filmes atuais e assustadores. Concordo com o Chamado (a versão japonesa é mais assustadora), Bruxa de Blair (o original) e o Exorcismo de Emily Rose… esse sim chega aos pés de Exorcista. Medo…

  2. williams frança Says:

    Um filme exelente sou muito fá de o exorcista fui ver os 2, 3 mas são fracos já o filme exorcista o início achei ótimo mas não supera o classico eu acredito que o filme de 73 nunca será superado .

  3. alexis Says:

    só tem um erro na continuação do filme, a questão da morte da mãe de Karras tem cenas que dizem que ela foi encontrada morta em casa, em outra ela esta num hospital internada.

  4. Alicia Jaramillo Says:

    Filme Exorcista é um excelente filme, cenas, história, ação e efeitos têm classificado como um dos melhores. Como este e outros películas de terror en HBO , eu recomendo que você verificar o calendário e se divertir, eu adoro isso. Embora mme muito assustador, eu reconheço que é incrível.

  5. rauny moreira Says:

    O melhor filme de terror de todos os tempos e isso eu afirmo sem medo de errar, muito se fala sobre a cena em que regan levita da cama mas eu prefiro a que ela desce as escadas de cabeca pra baixo ou quando ela gira a cabeca parecido com uma coruja valeu galera e respondam

  6. Eduardo bissi Says:

    Classico dos classicos, pena que hoje em dia não fazem mais filmes deste naipe.

  7. jane Says:

    adoro livros de terror, o exorcista é um grande clássico!

  8. PÂNICO (1996) « Cinema & Debate Says:

    […] em certo momento e até mesmo presença de Linda Blair, famosa por viver a garota Regan em “O Exorcista”, reforça este tom […]

  9. eduardo Says:

    oi eu assisti o filme e gostei mas não me deu medo

  10. lu Says:

    adorei o comentário, alias, a analise e critica do filme! Concordo plenamente com o conteudo do texto! O exorcista é um classico do terror! decadas passarão e dificilmente terá um outro filme que tenha tamanha profundidade!hoje o terror e suspense vivem a base de remakes ou filmes mal feitos! sem originalidade alguma, eles apelam p/ truques visuais achando que isso será realmente o mais importante! o exorcista caprichou simm em recursos ( os melhores da epoca) mas independente da tecnologia usada o que o diferencia é seu roteiro ( o assunto pesado a que aborda) por isso mesmo com tantos jogos mortais, chamados e atividades paranormais vemos ainda pessoas chocadas com o classico! Quero aproveitar p/ expor minha opnião a um comentario do individuo que comparou o mesmo com filmes como o o bebe de Rosemary e o Silencio dos inocentes ( que obviamente nao deixam de ser bons filmes)mas que é absurdo tal comparação, ja que apesar de serem filmes classicos ( terror e suspense) em nada se assemelham a exorcista! O segmento é completamente diferente, e apesar de serem otimos filmes os citados por ele, nao ha uma consistencia e um poder visualmente e psicologicamente tao chocante quanto o exorcista! nao é atoa que foi o unico filme de terror a concorrer ha varios oscars incluindo melhor filme! sem mais! e parabens pelo texto!

  11. Alessandro Says:

    Achei esse site por acaso, li a critica do filme O Exorcista e achei interessante. Esse filme é sem sombras de dúvida o melhor filme de terror de todos os tempos. Essa garotada de hoje ao dizer que os filmes atuais são muito melhores, não sabem que os temas sobre possessão são baseados no clássico O Exorcista, na tv nada se cria tudo se copia, um exemplo é que todos filmes posteriores mostram uma mulher sendo possuída, e nunca um homem, geralmente em casa, geralmente a familia é transtornada, está com pijama, branco, etc.
    É como dizer que Jason de Sexta-feira 13 foi que lançou o modelo de serial killer mascarado, ou estou errado?
    Se hoje voces se “assustam” com filminhos cheios de efeitos especiais, gritos super altos, menina que sai do poço com cabelo na cara, etc saibam que tudo isso não é novidade, são apenas inspirações dos clássicos: A hora do pesadelo, Sexta-feira 13, O Exorcista, O bebê de Rosemary, O iluminado, etc… assistam esses filmes com a luz apagada, de preferencia após a meia noite, numa casa de sitio, afastada de tudo, sem telefone. Agora se voce não tem nada disso, não cria esse clima, não sentirá o arrepio que envolve os filmes citados acima.
    Criticar filmes de terror é fácil para aqueles que não sabem sentir medo.
    Parabéns para o dono do site.

  12. Cross98 Says:

    Pra hj em dia é bem chato

    • Roberto Siqueira Says:

      Porque Mateus?
      Abraço.

    • cross98 Says:

      Pra hj em dia coisa nenhuma , isso é apelão cara , isso não é aterrorizante , é nogento , isso pra mim nem se compara a filmes como O Silencio dos Inocentes ou O Bebê de Rosemary que são bem melhores.O Povo de antigamente e de hoje em dia tambem confundem terror com apelação , como Jogos Mortais, que tambem é um lixo

      ¯\_(ツ)_/¯, mas fazer o que mesmo , ja marcou época a ainda vai assustar as pessoas

    • Roberto Siqueira Says:

      Acho o primeiro Jogos Mortais um bom filme. E ainda que também prefira os outros filmes citados, repito que gosto e respeito muito O Exorcista.
      Abraço.

    • cross98 Says:

      pois é, é um excelente drama (está nos meus favoritos, eu comprei esse filme ontem), mas não é assustador, é triste até, mas não acho apavorante. Resumindo, vale a pena , pra mim é uma obra prima de drama, e um lixo no terror

    • Roberto Siqueira Says:

      Existe drama sim, mas é acima de tudo um filme de terror.
      Abraço.

  13. Rick Lobo Says:

    O Exorcista sempre será meu filme favorito! Eu o assisti com apenas 6 anos de idade, e fiquei pertubado um bom tempo, só tive coragem de assisti-lo de vez com 12 anos, ai não parei mais, fiquei fanático, assisti mais de 48 vezes, tenho toda a sequência(em dvd/vhs) e as trilhas sonoras e o livro. Um filme que marcou minha adolescência e até mesmo minha personalidade e intelectualidade sobre filmes, filme digno de aplausos pela qualidade, um filme que não apresenta defeitos. Um filme que ainda assusta a todos nós!

    • Roberto Siqueira Says:

      Olá Rick,
      Obrigado pela visita e pelo comentário. Que legal que curte bastante o filme, muito interessante sua história.
      Um abraço!

  14. Anônimo Says:

    ESSE É O MELHOR DE TODOS OS FILMES DE TERROR!!!

  15. Janerson Says:

    Serei sucinto: simplesmente o melhor filme de terror de todos os tempos na minha opinião.

    • Roberto Siqueira Says:

      Olá Janerson,
      Muito obrigado pela participação. Muitas pessoas concordam com você neste aspecto, pode acreditar.
      Abraço.

  16. soninha Says:

    e muito louco

  17. cassio Says:

    CASO 1949. Ellen murphy de 18 anos, consegue a guarda do irmão de 13 anos pelos maus tratos dos pais, logo após o menino apresenta sintomas de possesão demoniaca.

    QUERIA PEDIR QUE NÃO APAGUASEM, QUERIA DIVULGAR NA COMU ……………

    O filme esta dividido em 6 partes !

    Não fale coisas ruins do filme, sem nem assistiu!

    COMENTEM E ASSITAM LÁ NO YOUTUBE EM hd !!!!
    Assista ao filme no youtube em Alta resolução ( Youtube HD )

    • Roberto Siqueira Says:

      Cassio,
      Fique à vontade para comentar sempre que quiser no Cinema & Debate. Mas não coloque vídeos, pois carrega muito a página. Tive que editar seu comentário. Da próxima vez, apenas coloque o link, ok?
      Abraço.

  18. Sino Says:

    Bom.. na realidade não resisti e tive q vir fazer este comentário neste blog, principalmente por eu ser viciado em cinema; O Exorcista é o meu primeiro filme d cabeceira logo depois vem “OS OUTROS” “O CHAMADO” e “TERROR EM SILENT HILL”. Lembro q a primeira vez q assisti O Exorcista foi na época em q relançaram no cinema em 2001 com 11 minutos a mais, desde então nunca tinha visto. Era a última sessão de cinema e eu já estava com medo. Até hj fico impressionado com os efeitos do filme comparando-se com os recursos existentes nos anos 70. Tenho uma amiga q me disse q na época em q estreou no Brasil pela primeira vez, ela foi assistir, e chegaram até cancelar sessões de tão assustador que foi. Acho q os comportamentos “impossíveis” de Regan possuída no filme é uma forma d mostrar a intensidade maléfica espiritual independente das consequências físicas. Acredito que quem não curtiu O Exorcista está mais acostumado com o terror voltado para o entretenimento e comédia, ou temas como psicopatas ou serial killer correndo atrás das vítimas. Enfim.. filme, livro e música é algo muito pessoal.

    • Roberto Siqueira Says:

      Olá Sino.
      Seja bem vindo e fique à vontade para comentar sempre que quiser.
      Obrigado pelo comentário e por seu relato sobre a primeira vez que viu o filme.
      Um grande abraço.

  19. Thiago Ribeiro Says:

    Com certeza, o melhor filme de horror de todos os tempos. Independente de suas “maldiçoes” (a principal delas é que a atriz Linda Blair, que fez a menina Regan, nunca mais teve sucesso no cinema)o filme tem excelente imagem e som, tecnologia incrivel para a década de 70; que se foesse comparada aos dias de hoje seria como um IPad. O desenrolar da trama também é fantástico, as mutações no corpo de Regan, o Drama da mãe, enfim, assisti esse filme a primeira vez quando tinha 13 anos, desde então me tornei fã do filme, mas tenho de concordar, a sequencia (O Exorcista 2 – O Herege e O Exorcista 3) são muito ruins, a talentosa atuação de Linda no primeiro filme é excelente para uma simples menina de 14 anos, já no segundo filme, Aff.. um lixo, digna do troféu Framboesa (o Oscar dos piores filmes) o terceiro fileme então nem se fala, nada haver com o primeiro. Enfim, nada melhor como o Original. O Exorcista pra mim, será pra sempre um clássico no quesito filmes de horror, que com certeza atravessará muitas gerações.

  20. Brasil Inteligente Says:

    Para mim, um filme nada assustador. Não discuto a qualidade técnica, com efeitos que pra época, realmente me surpreenderam. Mas algumas reações da menina são exageradas e torna o filme até engraçado. O filme seria muito mais assustador se fizesse mais suspense sobre o que acontece no quarto…

    • Roberto Siqueira Says:

      É curioso isto né Thi. “O Exorcista” é, pra mim, um filme muito assustador e, além disso, um excelente estudo sobre a fé (ou a perda dela).
      Um abraço.

  21. Mandy Intelecto Says:

    Vamos lá, assisti novamente!
    Pensando na história: é muito boa, concordo com a clareza e a realidade em que é mostrada a falta de fé das pessoas.
    Acho bem legal mostrar os padres de uma forma verdadeira, eles fumam, bebem, entre outras coisas que não os tornam ‘santos’…mas sim pessoas comuns.

    Sobre as cenas assustadoras: Não acho que são realmente assustadoras…são boa, muito bem montadas, mas na minha humilde opinião exageradas…

    A cena em que ela gira a cabeça em 360º mata, pelo simples motivo que: MESMO sendo um espírito dentro dela que faz isso, quebram-se todos os ossos e nervos e ligamentos entre espinha dorsal e cerebro o que mataria a Regan! Não tem como justificar que ela continue viva após isso…é algo CARNAL…não espiritual.

    Acho o filme em si bastante forçado…
    Enfim!

    • Roberto Siqueira Says:

      Bom, debatemos o filme por horas a fio… rs… A conclusão é: Um bom filme pra você e pro Thi, um ótimo filme pra mim. rs
      Valeu pelo comentário.

  22. Imagens: O Exorcista (1973) « Cinema & Debate Says:

    […] o projeto de atualização das críticas com imagens, chegou à vez da crítica do aterrorizante O Exorcista (1973) ser devidamente ilustrada. Vale lembrar que o texto permanece o mesmo do dia de […]

  23. Allan bittencourt Says:

    Esse filme tem tudo a ver comigo !

    Além de me causar fortes arrepios ele é o melhor Filme do Mundo !

    Ele merece mais continuações baseadas nos fatos que ocorreram com REGAN !

    • Roberto Siqueira Says:

      Allan, muito obrigado pela visita ao Cinema & Debate e pelo comentário. É um grande filme, sem dúvida nenhuma.
      Seja bem vindo e volte sempre.
      Grande abraço.

  24. Anônimo Says:

    Esse filme tem tudo a ver comigo !

    Além de me causar fortes arrepios ele é o melhor Filme do Mundo !

  25. aline Says:

    eu acabei de baixar esse filme por duas vezes na primeira meu irmão que nao gosta do filme fez o favor de quebrar o dvd entao baixei de novo e gravei eu bem que podia quebrar os dvds dele tb mas ai estaria me igualando a ele !
    bjus

    • Roberto Siqueira Says:

      Não faça isso Aline. 🙂
      Obrigado pela visita ao Cinema & Debate e volte sempre.

  26. aline Says:

    o exorcista é um clássico pode passar os anos que passarem ele sempre sera o favorito da galera e podem inventar qual filme de exorcismo que foi mas nao chegará aos pés desse estupendo filme
    o exorcista F-O-R-E-V-E-R

    • Roberto Siqueira Says:

      Olá Aline. Obrigado pelo comentário, seja bem vinda ao Cinema & Debate e volte sempre.
      Abraço.

  27. pazuzu Says:

    Eu não gostei que o padre Karras me expulsou do corpo de Reagan por isso eu voltei no exorcista 3 pra dar o troco nesse infeliz… Eu sou igual o madinbu….

  28. Leandro Branco Says:

    Seguinte o filme é dez, mas uma das milhares de coisas q me fez ter emoções distintas ao ve-lo é como os padres chegam cheios de marra pra cima da Regan possuída, te juro q me senti seguro nakela hora O_o.
    Outra cena boa é a hora q Karras joga Regan possuída no chão e dá uma surra na cara dela (haha), mto bom véio.
    Além do mais eu cheguei a ficar com dó da Regan por ser possuída, com raiva do Pazuzu e com orgulho dos padres pelo jeito que eles chegam cheios de confiança pra enfrentar o demo.

    • Roberto Siqueira Says:

      Legal Leandro, o filme é muito bom mesmo.
      Grande abraço, obrigado pela visita ao Cinema & Debate e volte sempre.

  29. Anônimo Says:

    AFF, esse é um dos melhores filmes de terror “se n o melhor”, cria todo um ambiente clássico da palavra exorcismo, e como assim eles não tem criatividade se esse foi um dos primeiros Oo quem n tem criatividade são os diretores atuais ” a cena em que ela desce a escada se contorcendo, de cada 100 filmes de terror que envolvem espíritos, 100 filmes de terror copiam a mesma cena”; sem dúvida esse filme é o pioneiro no assunto filmes de terror

    • Roberto Siqueira Says:

      Obrigado pelo comentário Anônimo. Também não entendi porque a pessoa abaixo disse estas coisas. Realmente, “O Exorcista” é um dos grandes destaques no gênero. Um abraço, seja bem vindo ao Cinema & Debate e volte sempre.

  30. gardânia santos lima Says:

    eu acho este filme muito interessante apesar de brincar muito cm a nossa religão!!!!!!e dizer ki ele eh uma palhaçada é uma discriminação
    para as pessoas ki curtem esse tipo de coisa!!!!
    achei muito legal mesmo esse filme bem interessante!!!!!
    bjksss

  31. maarcella Says:

    tipo o exorcista ate qe é marra mais o 3 é uma porkaria o 1 ate qe vai mais o 3 naaum ten nada ve

    • Roberto Siqueira Says:

      Obrigado pela visita e pelo comentário Marcella. Não assisti o 3 ainda, mas quando assistir comento aqui também ok?

  32. anonimo Says:

    pra mim esse filme é uma palhaçada ás pessoas não estão tendo mais criatividade pra fazer filmes q realmente tenha um fundamento e colocam coisas que infelizmente exciste mais de uma forma muito simples…
    afff….
    e ainda tem pai q deicha filho assistir essas porcarias ….

  33. Vane Says:

    Ahh! Eu lembro q vi esse filme na sua casa com a Ká e se nao me engano, com sua prima!! rss Há muuuuuuuuuuuuuito tempo atrás! hahahaha Doidera! Ainda bem q vimos de tarde! rsssss Nao senti tanto medo! hehehehe =P
    Bejo!

  34. Mandy Intelecto Says:

    Pois é….eu assisti esse filme já faz um tempo….e confesso que não gostei nada nada…

    Talvez seja interessante assistir novamente….mais maior de grande agora e com outra perspectiva…

    Bom texto Beto..

    Bjoo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: